fbpx

Janeiro marcou a divulgação dos dados relacionados com a reciclagem em 2021. Duas entidades – a Novo Verde e a Sociedade Ponto Verde – divulgaram dados diferentes, e ambos estão corretos.

A Sociedade Ponto Verde refere que foram encaminhadas mais de 435 mil toneladas de embalagens para reciclagem, o que se traduz num aumento de 6,4% face a 2020. A Novo Verde refere um aumento de reciclagem de embalagens na ordem dos 8.2%, o que se traduz em cerca de mais 36 mil toneladas face ao ano anterior. A diferença nos dados deve-se ao facto de que o comunicado da Novo Verde tem em conta os resíduos indiferenciados e seletivos, onde se referem os dados de materiais como vidro, plástico, papel/cartão, metal, aço e alumínio.

Entre os materiais que são colocados nos ecopontos, a Sociedade Ponto Verde refere que o plástico é o que regista um dos maiores crescimentos, com um volume de embalagens recicladas que aumentou 14% só no ano passado.  

ecopontos

A Sociedade Ponto Verde, por sua vez, enalteceu o crescimento de 5% da reciclagem do vidro em 2021, apesar do encerramento temporário dos estabelecimentos de restauração devido à pandemia, sendo que é um setor com muito peso para os resultados de reciclagem de embalagens de vidro. Contudo, ainda há mais a fazer e é por isso que várias entidades assumiram um compromisso para atingir os 70% de reciclagem em 2025.

Ana Trigo Morais, CEO da Sociedade Ponto Verde, refere que “os resultados globais de 2021 revelam um bom desempenho do SIGRE (o Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagens) o esforço contínuo da Sociedade Ponto Verde na gestão do fluxo de embalagens”.

“Estamos todos comprometidos com o cumprimento das metas da reciclagem em Portugal e nós, em particular, na SPV temos vindo a trabalhar de forma muito próxima com todos os agentes da cadeia de valor das embalagens para fomentar a inovação, mas também com os consumidores para incentivar a comportamentos cada vez mais sustentáveis e que sejam ainda mais participativos no processo de reciclagem das embalagens que resultam do seu consumo”, conclui.

Os dados da Novo Verde assinalam os materiais de embalagens destinados ao ecoponto amarelo, que obtiveram um aumento de 16%, face 2020. Ricardo Neto, Presidente da Novo Verde, assinala que “os últimos dois anos, cujo enquadramento sanitário e social todos conhecemos, ficaram também marcados por uma mudança positiva a nível de comportamentos face a reciclagem de embalagens, um importante passo para um cumprimento de metas que, em 2022 vai aumentar exponencialmente. Por isso, todos os esforços de sensibilização serão poucos.  Neste ano que se desenha, a Novo Verde continuará a aprofundar todas as diligências para apoiar a mudança de hábitos e de comportamentos dos portugueses face a deposição correta de embalagens para reciclagem e valorização.”

Para além do plástico, os portugueses reciclaram mais 18,7% de ECAL (Embalagens de Cartão para Alimentos Líquidos) e mais 10%, em média, de embalagens de metal, categoria onde se inclui o aço (+8.7%) e alumínio (+32.2%). Já a reciclagem de embalagens de cartão/ papel atingiram as cerca de 141 mil toneladas, mais 5% que 2020.

A Novo Verde e a Sociedade Ponto Verde são entidades gestoras de resíduos, responsáveis pela recolha, valorização e/ou reciclagem de embalagens e resíduos de embalagens.