fbpx

O setor do retalho, como conhecíamos, já não existe. Quem o diz é a Xpand IT, que realizou um estudo e elaborou um relatório focado na indústria. Os resultados mostram que a tecnologia é um facilitador de inovação.

“O setor do Retalho foi marcado de forma muito vincada por tudo o que vivemos nos últimos anos e foi necessária uma grande aposta no digital para fazer face aos vários desafios que foram surgindo. O que acreditamos é que a tecnologia continuará a ser fundamental nesta nova fase, em que teremos de lidar com uma realidade muito diferente da anterior”, afirma Sérgio Viana, Partner & Digital Xperience Lead da Xpand IT.

© Xpand IT

Segundo este novo relatório, os principais desafios para o setor do retalho passam por: expetativas do cliente; conveniência; contexto; e propósito. Num contexto em que, cada vez mais, o presencial se funde com o digital, as lojas físicas não vão desaparecer, mas é necessário redefinir o seu conceito, de forma a serem atualizadas para elevar a experiência do cliente e promover a integração com os pontos de contacto digitais. Ou seja, a tecnologia deverá melhorar toda a experiência na própria loja, que assume um conceito “phygital”, que combina a experiência física com a digital.

O estudo aponta também as seguintes tendências: personalização; sustentabilidade; e experiência. Isso significa que os retalhistas devem criar experiências diferenciadoras tanto nas lojas físicas como no comércio online. Além disso, o comércio torna-se social, com a integração do comércio online com as redes sociais, possibilitando que o consumidor possa concluir a sua compra através da própria rede social.

Diz o estudo que o futuro da indústria do retalho passará por uma realidade híbrida, em que os consumidores procuram por experiências impactantes e conteúdo genuíno, independentemente do canal. Os retalhistas devem aproveitar o melhor que as lojas físicas têm para oferecer, tal como a proximidade e a conexão emocional com os seus clientes, e continuar a aposta crescente no digital, em particular em três grandes áreas: experiência, automação e dados.

Com presença em mais de 30 países, a empresa conta com mais de 340 clientes na área de serviços, tendo ultrapassado os 280 colaboradores. Além disso, é responsável pelo desenvolvimento de diversos produtos de software.